Semana termina com mais de 400 casos de Covid-19

24/06/2022 | Itaúna

Agora, o município totaliza 21.804 casos confirmados da doença – Foto Radio Santana FM

 

 

O boletim da Prefeitura Municipal de Itaúna registrou nesta sexta-feira 24/6, mais 104 casos da Covid-19. A semana encerra com 420 pessoas contaminadas: Foram 96 na segunda-feira, 102 na terça, 66 casos na quarta, e 52 na quinta-feira.

 

Agora, o município totaliza 21.804 casos confirmados da doença, sendo 10.159 do sexo masculino e 11.645 do sexo feminino.

 

A média móvel dos últimos 7 dias, esta em 60 casos diário, é o número mais alta desde março.

 

Com relação aos hospitalizados, subiu para 5, o total de itaunenses tratando a doença no Hospital Manoel Gonçalves.

 

A boa notícia é que o município não registra mortes desde o mês de março, segundo informações da saúde.

 

Em Minas

 

Minas Gerais registrou 62.015 mortes pela COVID-19 nesta sexta-feira (24/6), de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) . Foram 99 óbitos só nas últimas 24 horas.

 

Os dados também apontam que mais de 14 mil pessoas testaram positivo para a doença no último dia. Desde o início da pandemia, foram confirmados 3.572.319 casos da doença, sendo 14.029 entre esta quinta e sexta-feiras.

 

Segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, o aumento é resultado do acúmulo de dados e não reflete a realidade do Estado.

 

Baccheretti ainda descarta a ocorrência de uma quarta onda da doença.

 

“Está muito longe do que vivenciamos em janeiro e fevereiro com a Ômicron. O que estamos vivendo agora é o aumento sazonal de doenças respiratórias”, disse.

 

Vacinação em Itaúna 

 

Está liberada a aplicação da segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 (a quarta dose), em pessoas com 40 anos ou mais  no município de Itaúna.

 

Gestantes ou puérperas nesta faixa etária que receberam anteriormente qualquer um dos imunizantes disponíveis estão aptas a receberem um segundo reforço com a vacina Pfizer ou CoronaVac.

 

O intervalo mínimo entre 1ª e 2ª dose de reforço deve ser de 4 meses. Para receber o imunizante, é preciso apresentar o documento oficial com foto e cartão de vacinas em qualquer posto de saúde da cidade.

 

“A vacinação já mostrou seus resultados mas muitas pessoas ainda relutam em completar seu esquema vacinal. Muita gente ainda não voltou às unidades de saúde para tomar 2ª dose, reforços ou imunizar as crianças. Enquanto não houver este compromisso, o controle total da pandemia ficará inviável”, afirma o Secretário Municipal de Saúde, Fernando Meira de Faria

 

 

 

 

Veja também