NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 19 de junho de 2021

 

 

 

 

Desde o dia 14 de outubro 2014, a cidade de Itaúna vivi um vazio cultural e histórico. Após ato de vandalismo, uma das maiores referencias religiosas e históricas do Município praticamente foi destruída após incêndio criminoso que até hoje não foi elucidado pelas autoridades competentes. A já debilitada estrutura da CAPELA DE NOSSO SENHOR DO BONFIM, popularmente chamada de capelinha do Bonfim, tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural do Município conforme decreto nº 4407 de 10 de maio de 2002, foi consumida pelas chamas e com elas parte da história de fé e nascimento da cidade. Ponto de peregrinação religiosa e para alguns, ponto turístico – sem a devida estrutura para tal – a capelinha é marco histórico, sendo dever de toda a coletividade e autoridades se mobilizarem para sua RECONSTRUÇÃO.

 

A Fundação Educativa e Cultural São Francisco, através da RÁDIO SANTANA FM, deu um passo importante para que uma discussão séria e embasada em dados técnicos fosse iniciada. Por intervenção de seu Diretor Presidente, Helênio Antônio Lara uma solicitação foi encaminhada ao CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura), para que um laudo técnico de vistoria de estabilidade estrutural, restauro e ambiental, minuciosamente detalhado fosse feito, apontando a real situação estrutural e possibilidades de intervenção no local.

O CREA, por sua vez dentro de suas atribuições indicou o arquiteto Saulo Américo da Silva Campos,  da empresa MAKET ARQUITETURA & URBANISMO para a realização deum minucioso trabalho de perícia e análise técnica, constatando-se inicialmente ( como aponta o laudo conclusivo) que a Igreja do Bonfim ficou em ruínas descrevendo em sua análise todos os pontos componentes da estrutura física do imóvel que se apresentavam comprometidos pela ação das chamas que o atingiram, a exemplo do telhado “Nave” que desabou, da cornija que foi totalmente danificada,  ausência de telhado em boa parte da estrutura, deslocamento do sistema de estrutura, frestas e rachaduras que comprometem a segurança dos que ali visitam. Todo laudo apresenta além das dissertações técnicas um rico registro fotográfico para sua defesa com comprovação visual para todos aqueles que queiram conhecer a real situação da Igrejinha do Bonfim.

 

caminhada bonfimA conclusão do Laudo pericial aponta definitivamente para a RECONSTRUÇÃO da Igreja do Bonfim dado ao comprometimento da estrutura original da construção. Viabilidades técnicas são apontadas e sugeridas no referido laudo, dada a preocupação de se manter viva a origem e História da Igrejinha. Reconstruir será realmente necessário, mas inadmissível será deixar as marcas da História cultural e religiosa se perderem em razão das ações do presente. Pensando nisto o arquiteto Saulo Campos , sugere o desenvolvimento de um projeto que contemple  a revitalização de toda  área física do local com arborização , criação de uma ampla praça de circulação, criação de estandes (pequenas lojas) para desenvolvimento do comercio turístico no local , área de segurança para o setor de telecomunicações que lá existe e  que sabe até a possibilidade de se adotar um pedágio para  o acesso ao Morro do Bonfim com exceção dos dias consagrados às manifestações religiosas e aos profissionais técnicos que tem que rotineiramente que visitar o local, dando ao local um verdadeiro e original aspecto de ponto turístico.

As intervenções na igreja se dariam de forma gradativa, com um projeto que contemple a construção de uma NOVA CAPELA, mas, com a preservação e manutenção do espaço hoje existente, numa completa interatividade entre as duas épocas, entre o antigo e o novo.

 

Após a conclusão do laudo, o material foi devidamente registrado e oficializado, sendo uma cópia encaminhada para a MPMG, aos cuidados do Promotor de Justiça Dr. Daniel Batista Mendes, para que uma avaliação legal e criteriosa fosse feita afim de se dar continuidade ao processo de mobilização para a reconstrução da Igrejinha do Bonfim.

 

Agendada para a tarde dessa quarta feira (15), uma comissão composta pelo Diretor Presidente da Fundação Educativa e Cultural São Francisco, Helênio Antônio Lara,  o Pároco da Matriz de Nossa Senhora de Fátima , Padre Adriano Aparecido Bolognani e o Professor e Historiados Luiz Mascarenhas que no último momento ficou impossibilitado de comparecer por motivo de saúde,  foi recebida pelo Pro
motor Dr. Daniel Batista, para apreciação do laudo e abertura das discussões sobre o melhor caminho a ser tomado no processo de reconstrução da Capelinha.

 

O Promotor, na ocasião, elogiou e parabenizou a qualidade técnica do projeto, acolhendo as argumentações da comissão, colocando-se á disposição para dar legalidade e fundamentação jurídica a iniciativa e sobre tudo avaliando aos olhos da Justiça o melhor posicionamento a ser tomado no processo de reconstrução da Igrejinha do Bonfim.

 

Um novo encontro está marcado para um prazo de 30 a 40 dias junto a promotoria para novas discussões sobre o assunto. A partir daí abrir-se-ão possibilidades para o envolvimento de outras instituições privadas e públicas, para que juntas possam unir forças para o desenvolvimento do projeto de Reconstrução da igrejinha do Bonfim.

 

É importante salientar que todos os passos, estão sendo dados prioritariamente atendendo os tramites legais e constitucionais antes de se conclamar uma participação mais efetiva de outros setores para se evitar problemas como os que se formaram quando do processo de restauração da Igreja do Rosário que mesmo contando com a ação benemérita por parte da iniciativa privada , se transformou em um processo de caráter político, moroso com intervenções por parte de organismos e instituições que em nada colaboraram para a rápida e efetiva restauração daquela que também é patrimônio cultural do município.

Leia o Laudo técnico na íntegra:

Laudo técnico