NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 11 de maio de 2019

Larissa Miranda

O lançamento do aplicativo 2V, que ocorreu na última sexta-feira,29, causou certo tumulto entre os motoristas de táxi do município pela possível concorrência, diferenças nos valores e condições de trabalho.

O 2V, que possui  92 vagas para motoristas, já conta com 30 motoristas cadastrados, e já recebeu 485 solicitações para a vagas. No entanto ficou definido que, dessas 92 vagas, 67 são reservadas aos taxistas que quiserem se cadastrar. O prazo para a liberação do restante dos cadastros foi estabelecido até 12 de abril .

No entanto, a proposta não agradou aos taxistas que, mesmo podendo trabalhar para o aplicativo, o viram como um concorrente de peso, já que, o número de carros para transporte irá aumentar na cidade, diminuindo assim o possível número de clientes.

As reivindicações da classe tiveram início antes mesmo do lançamento do aplicativo, através de uma carta lida pelo taxista Moisés Evangelista, na reunião do plenário da semana anterior,26.

Na carta, Moisés apresenta parte das queixas e questiona como o 2V funcionaria em Itaúna, levantando ainda o questionamento se o aplicativo havia sido aprovado pela Câmara.

Com o lançamento, os ânimos se exaltaram devido às três categorias de motoristas que seriam oferecidas pelo 2V, onde, o usuário ao selecionar um destino no aplicativo encontraria três opções de motoristas – 2V, 2V Vip e 2V tx –  sendo cada categoria destinada à um motorista de valor diferente. E os taxis, nesse caso, seriam categoria 2V tx – a última opção e mais cara.

Reunião com os taxistas

Diante às muitas reivindicações e dúvidas, foi realizada na noite desta segunda-feira, 01, uma reunião no plenário da Câmara Municipal, onde marcaram presença vários taxistas, vereadores, o diretor do Setor de Trânsito e Transporte Audrey Leite, e criador do aplicativo Fábio Carvalho.

Na reunião, os taxistas foram ouvidos e tiveram suas dúvidas esclarecidas, tanto a respeito do aplicativo, quanto à respeito de assuntos legislativos – tais como excesso de multas, problemas com pontos de táxi e falta de estrutura disponibilizada.

Um Projeto de Lei também foi debatido, e pretende destinar 1% do faturamento do app ao Município, como forma de compensar a cobrança de alvará e vistorias nos táxis.

Em resolução, foram atendidas as reivindicação para equiparar os preços das corridas da categoria 2V Vip (carros de luxo e mais novos) à da 2V TX, que inclui os táxis, além de aproximar a categoria 2V (carros básicos) às demais.

Um projeto de lei também será criado pelo setor de trânsito para atender tanto ao aplicativo quanto à classe dos taxistas.

Em entrevista para a Santana FM, o vereador Joel Arruda esclareceu que o aplicativo será benéfico para os taxistas que não sofrerão alteração nas concessões de taxi e poderão trabalhar tanto conta própria quanto pelo aplicativo

Ele ainda ressalta que para ter bons rendimentos com o aplicativo os motoristas devem ficar atentos às demandas “hoje temos uma clientela muito jovem que dependem desses aplicativos porque saem a noite e consomem bebidas alcoólicas e pela Lei Seca necessitam de um uber para voltar para casa  .”(sic)

Outro tema de discussão na reunião foram os pontos fixos de táxi, que com a chegada do aplicativo se sentiram ameaçados “Existe uma lei regulamentada desde 2014. Os pontos fixos de táxis são intocáveis e a lei garante que assim continue”,  explica Joel.

Ele também afirma que os motoristas do aplicativo não irão interferir em nada nos pontos, pois, todos podem ficar em casa, já que só sairão rumo à seus destinos quando solicitados pelo aplicativo.

O aplicativo

O aplicativo de mobilidade urbana, assim como os aplicativos Uber e GoCar – não implantados na cidade – surgiu com a proposta de aumentar a disponibilidade de transporte, reduzir o número de carros nas ruas, resolver a carência de vagas de estacionamentos, agilizar os trajetos, e reduzir a emissão de gases poluentes, além da geração de empregos e renda. Até o momento possui 30 das 92 vagas para motoristas preenchidas. Quanto ao valor, se equipara aos valores de mercado cobrados pelo Uber e GoCar.

Seu lançamento ocorreu na última sexta-feira,29, em um evento na casa de shows Arena Music Bar. É uma criação de Fábio Carvalho, itaunense que reside em Belo Horizonte, e teve a ideia de implantar o aplicativo observando a demanda da cidade – 90 mil habitantes. O empresário pretende também expandir o aplicativo para 86 municípios no Estado, e já iniciará testes nos municípios de Brumadinho, Divinópolis e Pará de Minas.