TSE faz acordo com redes sociais para combater fake news

15/02/2022 | Brasil, Política

As empresas se comprometeram a cumprir com uma lista de ações – Foto reprodução

 

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e as principais plataformas digitais que atuam no Brasil assinaram, nesta terça-feira, 15/2, um documento para barrar a disseminação de fake news nas eleições de 2022. 

 

As plataformas inclusas no acordo são Google, WhatsApp, Facebook, Instagram, YouTube, Twitter, TikTok e Kwai. As empresas se comprometeram a cumprir com uma lista de ações a serem executadas no combate à desinformação eleitoral, entre elas a priorização de informações oficiais, divulgadas pelo próprio tribunal.

 

As eleições estão marcadas para 2 de outubro (primeiro turno) e 30 de outubro (eventual segundo turno), mas o acordo valerá até 31 de dezembro de 2022. “Vale ressaltar que os termos de cooperação pactuados com as organizações não envolvem troca de recursos financeiros e não acarretam custo ao tribunal”, diz o TSE.

 

As assinaturas são parte das estratégias do Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE. Ao total, 72 entidades parceiras auxiliam a Corte a rebater fake news que ataquem a integridade e credibilidade do processo eleitoral do Brasil. “Os três pilares da iniciativa baseiam-se em combater a desinformação com informação de qualidade, capacitação e controle de comportamento”, afirmou o TSE.

 

 

 

Veja também