NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 18 de junho de 2021

ue acordo imigrante

 

 

 

 

 

 

Os ministros do Interior da União Europeia votaram por maioria para aprovar uma resolução sobre a distribuição de 120 mil refugiados sírios, iraquianos e eritreus entre os Estados membros do bloco, apesar da oposição dos países do Leste a este mecanismo que instaura quotas por país, anunciou a presidência luxemburguesa do bloco.

“A decisão sobre a realocação de 120 mil  pessoas foi adotada por uma ampla maioria dos Estados-membros”, indicou no Twitter, após uma reunião que durou três horas a presidência luxemburguesa do bloco.

Já o ministro tcheco do Interior, Milan Chovanec, afirmou no Twitter que seu país, assim como Hungria, Eslováquia e Romênia, votaram contra, enquanto a Finlândia se absteve.

A Polônia, muito reticente à proposta da Comissão Europeia de uma divisão de quotas por país, votou a favor do mecanismo.

Uma fonte diplomática confirmou que os ministros votaram por maioria qualificada e decidiram pela divisão de 66 mil refugiados que chegaram à Itália e à Grécia um mês antes da entrada em vigor deste mecanismo e de 54 mil no próximo ano que também chegaram a estes dois países.

“Não é um acordo perfeito, mas nos permitirá começar a trabalhar sobre os problemas que estamos enfrentando”, acrescentou.

A medida, embora tenha sido adotada por maioria qualificada, é imposta a todos os membros da UE por igual, inclusive aos que votaram contra. Ainda não há mais detalhes sobre o acordo.

“Todo texto aprovado pelo Conselho é, inevitavelmente, obrigatório”, ressaltou a fonte europeia, explicando que o debate semântico se concentrou principalmente no medo de alguns Estados de estabelecer um precedente e abrir o caminho para, no futuro, a adoção de um mecanismo de alocação permanente, sem limite de número de refugiados envolvidos.