NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 24 de junho de 2021

Mais uma vítima da tragédia de Brumadinho é identificada – Foto: Arquivo pessoal

 

 

Uma das vítimas da tragédia da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi identificada nesta quinta-feira (27). A informação foi divulgada pelo governador Romeu Zema (Novo), em suas redes sociais. A última identificação de uma vítima de Brumadinho aconteceu há um ano e cinco meses. Ela foi possível através de um fragmento do fêmur encontrado no dia 14 de janeiro.

 

“Um alento para as famílias das vítimas de Brumadinho: foi identificada hoje mais uma joia. Que Deus conforte os familiares. Não vamos perder as esperanças”, disse Zema.

 

Até então, 11 pessoas estavam desaparecidas. A Barragem de Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019. Ao todo, 270 pessoas morreram.

 

Segundo Natália de Oliveira, representante da Comissão dos Não Encontrados, trata-se do soldador e mecânico Renato Eustáquio de Sousa. Ele trabalhava na Vale havia nove anos e completaria 32 anos no dia 14 de março de 2019.

 

Era casado e tinha duas filhas. Segundo a família, raramente era visto triste. No dia do rompimento, passava por um treinamento na Mina Córrego do Feijão para ser promovido.

 

“É um dia de emoção, porque hoje estão fazendo 856 dias que a barragem rompeu. Se Deus quiser, todas as joias serão reconhecidas. Hoje tem uma mãe que tem o coração mais acalentada. Fico só pensando na carinha da dona Eva, mãe do Renato. O pai dele sempre ia na reunião chorando. Todo mundo que trabalhou na Vale falava o quanto ele era uma pessoa boa”, disse Natália de Oliveira, também irmã de Lecilda, que permanece desaparecida.

 

Segundo o Corpo de Bombeiros (CBMMG), até março de 2021, 3.913 militares já atuaram, em revezamento, em atividades de campo, coordenação e de saúde em Brumadinho. As buscas tinham sido interrompidas em março por causa da pandemia, mas foram retomadas no dia 12 de maio.

 

“Atualmente, o CBMMG se prepara para a implementação da oitava fase de buscas, que contará com tecnologia para a aceleração do processo de vistoria de rejeito, doutrina advinda das análises dos especialistas bombeiros militares e que aumentará ainda mais a possibilidade de se localizar e identificar as 10 joias restantes”, disse em nota a corporação.

 

Buscas no terreno onde a barragem se rompeu, em Brumadinho, continuam – Foto Danilo Girundi/ TV Globo

 

Por G1