Zema perde força, mas ainda venceria eleição no 1º turno

10/05/2022 | Minas Gerais

Zema, Kalil e Viana – Foto: Flávio Tavares-O TEMPO/Jefferson Rudy-Agência Senado/Amira Hissa-PBH

 

 

Pesquisa do Instituto DATATEMPO mostra que o governador Romeu Zema (Novo) venceria a disputa pelo governo de Minas em primeiro turno, caso a eleição acontecesse hoje. No levantamento estimulado, quando os nomes dos candidatos são apresentados aos eleitores, o governador aparece com 43,5%, seguido pelo ex-prefeito de BH Alexandre Kalil (PSD), com 22,8% das intenções de voto. Na terceira colocação, aparece o senador Carlos Viana (PL), com 4,2%, seguido por Renata Regina (PCB), com 3,6%, e Miguel Corrêa (PDT), 2,1%. Não souberam ou não responderam 13,1% dos entrevistados e outros 10,6% afirmaram votar em branco ou nulo.

 

Considerados apenas os votos válidos, Zema tem 57,1%, já Kalil aparece com 29,8%.

 

Apesar de manter distância para o segundo colocado, o governador registrou oscilação negativa em relação à última pesquisa DATATEMPO. No levantamento estimulado de novembro, Zema tinha 45,7% das intenções de voto, ou seja, teve uma queda dentro da margem de erro, passando agora para 43,5%. Kalil permaneceu estável. Antes, era 22,9%, agora, 22,8%. Carlos Viana, que deixou o MDB e se filiou ao PL nos últimos dias do prazo eleitoral, no início de abril, apareceu pela primeira vez na pesquisa DATATEMPO sobre a corrida pelo Palácio Tiradentes.

 

Tendência de queda

 

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados aos eleitores, ou seja, os nomes são ditos de forma livre pelos entrevistados, Zema registrou sua maior queda até agora, com redução de 10 pontos percentuais na comparação com a última pesquisa. Este recorte é relevante porque mostra votos já consolidados e uma leve tendência de mudança no cenário estadual.

 

Já Alexandre Kalil fez o caminho inverso e aumentou sua intenção de votos no levantamento espontâneo. Em julho de 2021, o ex-prefeito de BH foi citado por 4,6%, mesmo percentual de setembro. Em outubro ele caiu para 3,8% e subiu para 4,6% em novembro. Agora, um mês e meio após deixar a prefeitura da capital e iniciar a pré-campanha, Kalil aparece com 8,2% da preferência dos entrevistados, um crescimento de quase 100% em relação ao primeiro levantamento realizado pelo DATATEMPO.

 

“As recentes mobilizações de servidores do Estado, os embates com a Assembleia Legislativa e posicionamento do governador em relação a mineração da Serra do Curral poderiam ajudar a compreender a alteração significativa nos percentuais de intenção de voto espontânea de Zema. A queda do governador no cenário espontâneo, associada ao crescimento do percentual de mineiros que não sabem indicar nesse momento o seu voto, pode refletir uma disposição menor de voto no atual governador. Vale destacar, contudo, que a diminuição de menções ao candidato não se traduz no aumento das intenções de voto nos demais, mas sim no aumento expressivo de eleitores que não se posicionam, seja por desconhecimento ou desinteresse na disputa ou por ainda não ter estruturado uma posição alternativa à Zema. Ainda assim, o desempenho majoritariamente positivo nos parâmetros de avaliação de seu governo e a preferência expressiva pelo governador do Estado no cenário estimulado, colocam Zema em uma posição confortável de reeleição em primeiro turno”, explica Bruna Assis, analista do Instituto DATATEMPO.

 

No levantamento espontâneo, o senador Carlos Viana aparece com 0,2% das intenções. Outros nomes que não se lançaram na disputa pelo governo de Minas, como o deputado Aécio Neves (PSDB), com 0,5% das intenções, e Antonio Anastasia (que assumiu uma cadeira no Tribunal de Contas da União), com 0,3%, são citados à frente do senador do PL.

 

Segundo turno

 

O Instituto DATATEMPO também levantou como ficaria hoje a disputa em um possível segundo turno. No primeiro cenário, entre Romeu Zema e Alexandre Kalil, o governador venceria a disputa, com 49,8% das intenções de votos, contra 32,7% para o ex-prefeito de BH. Neste cenário, 8,7% afirmaram votar em branco ou anular o voto, e outros 8,9% não souberam ou não responderam.

 

No segundo cenário, entre Zema e Carlos Viana, o governador também venceria a disputa, com 57,75% das intenções de votos, contra 17,8% do senador. Brancos e nulos seriam 14% e não souberam ou não responderam, 10,5%.

 

A pesquisa aferiu um terceiro cenário, com uma possível disputa entre Kalil e Viana. Neste cenário, o ex-prefeito da capital mineira venceria a disputa, com 44,2% das intenções de votos, contra 21,8% para o Viana.

 

Pesquisa DATATEMPO, parte do grupo Sempre Editora, realizada com recursos próprios, por meio de 2.000 entrevistas domiciliares, entre os dias 30 de abril e 5 de maio de 2022. Margem de erro: 2,19 pontos percentuais. Nível de confiança: 95%. Registro: TSE BR-00720/2022 e TRE-MG MG-01720/2022.

 

Por O Tempo 

 

 

 

Veja também