NO AR AGORA

Rádio Santana FM

Itaúna, 27 de novembro de 2020

 

Governador Zema (Novo) durante entrevista ao Estado de Minas – Foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)

 

Julho reserva os piores dias da pandemia do novo coronavírus em Minas Gerais, segundo estimativas dos técnicos da administração estadual. Em entrevista exclusiva ao Estado de Minas nesta terça-feira (30), o governador Romeu Zema (Novo) classificou como “angustiante” o momento vivido pelos mineiros e projetou que a “situação crítica” perdurará por “pelo menos 20, 30 dias”.

“Nós estamos em um momento crítico. Isso realmente causa esse mal estar, você vendo o número de óbitos subir. Mas vamos deixar bem claro: não está faltando medicamentos ou leitos para ninguém. Isso é que realmente seria algo muito grave. Temos que estar preparados para o que vai acontecer e sabemos que esta situação crítica vai continuar por pelo menos 20, 30 dias”, disse.

 

Os números da COVID-19 em Minas Gerais

Segundo boletim epidemiológico divulgado nesta terça pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), Minas Gerais tem 45.001 casos confirmados de COVID-19, dos quais 965 resultaram em mortes. Do total de infectados identificados, há ainda 17.604 pacientes em acompanhamento e outros 26.432 recuperados.

E os números tendem a crescer em velocidade maior nos próximos dias. A previsão da SES é que o pico da pandemia em Minas Gerais seja em 15 de julho, quando devem ser registrados mais de 2 mil novos casos e mais de 50 novas mortes no estado. Segundo Zema, a situação é “angustiante”.

“Realmente, é uma situação angustiante, tensa. Não resta a menor dúvida que isso afeta o emocional de todos, mais ainda daqueles que tomam decisões, porque é um momento em que vidas estão em jogo”, disse o governador. Zema voltou a admitir a possibilidade de lockdown (bloqueio total) em determinadas cidades, mas entende que dificilmente a medida será adotada ao mesmo tempo em todo o estado.

“Se numa cidade pequena, nós tivermos um surto enorme, porque ali um grupo muito grande de pessoas se contaminou, talvez essa situação venha a ser necessária, mas pontualmente. Vale lembrar que temos quase descartado um lockdown geral no estado, isso seria muito pouco provável”, analisou.

Do Uai